Movimento Varejo

Digitalização de pagamentos impulsiona o varejo

A tecnologia, como bem sabemos, impulsiona a inovação em qualquer área e não poderia ser diferente no setor de meios de pagamento. A Payscout, um provedor global de processamento de pagamentos que opera em seis continentes, está listado como a principal empresa com cultura em meios de pagamento digital no mundo. Seu CEO, Cleveland Brown, disse nesta manhã (17) em sua apresentação do Global Retail Show, que uma nova forma de fazer negócios e relações econômicas a partir do comércio social é uma alternativa que o mercado precisa voltar sua atenção.

Brown, assim como muitos já disseram, comentou que a pandemia acelerou a mudança do digital, com isso, foi possível observar a evolução na jornada do cliente, os pagamentos sem contato ganhando força, o aumento do comércio eletrônico, a capacitação multicanal e relatórios integrados, além da expansão dos canais de notícias. Para o executivo, o futuro dos pagamentos, está apoiado em “3 Cs” (conversões, compliance e custo).

A indústria de pagamentos precisa estar alerta ao comportamento do consumidor para estabelecer novas propostas, transformando as soluções oferecidas atualmente. A análise é do presidente da Cielo, Paulo Caffarelli.

Atualmente, seis milhões de clientes já usam meios de pagamento digital para fazer compras. E este número, segundo Cafarelli, foi acelerado principalmente pela pandemia. “A pandemia tornou a jornada de consumo mais digital e mudanças as precisam acontecer nas empresas. Precisamos olhar para a frente, ou seja, para o cliente do meu cliente.”

Mudança cultural nas empresas
Para ele, no cenário pós-Covid-19 a jornada continuará mais digitalizada. Os consumidores estão cada vez mais trafegando em ambientes físicos e digitais para cumprir uma missão de compra, num comportamento conhecido como phygital, que acelera, de modo significativo, a dinâmica do varejo

Paulo Caffarelli também falou sobre a mudança cultural das empresas. Segundo o executivo, muitas evitaram divulgar opções digitais de pagamento porque estavam satisfeitas com todo processo tradicional em curso, mas, para ele, “o mundo mudou e o consumidor percebeu que as facilidades ofertadas trazem ainda mais benefícios”.

Com a diversificação de iniciativas, a Cielo pretende se preparar para um varejo menos dependente das maquininhas, principalmente a partir da parceria com o Facebook para criar um sistema de pagamento via WhatsApp.

Futuro 
Guru Bhat, vice-presidente Global de Omnichannel do PayPal, observou que mais usuários provavelmente aceitarão e continuarão usando pagamentos digitais como medida de segurança para evitar a disseminação do Covid-19.

“Na desmonetização, a mudança de comportamento e a mudança para os pagamentos digitais foram devido à falta de disponibilidade de dinheiro. Nesse caso, não é por mero incômodo”, disse, acrescentando que o uso de dinheiro não será eliminado.

Diante do que vimos nos últimos anos, podemos apostar em algumas tendências. Os pagamentos devem ser cada vez mais por múltiplos dispositivos, sem atrito e sem barreiras ao comprador. As experiências se tornam mais simples, ágeis e personalizadas, mas também mais seguras. Esse, segundo o executivo, é um dos grandes desafios para o setor financeiro e de meios de pagamento.

Do Mercado e Consumo

Relacionadas
Movimento Varejo

WhatsApp no meio empresarial: o poder da mensagem para engajar o cliente

A pandemia acelerou o processo de digitalização das empresas e causou mudanças visíveis no relacionamento entre cliente e marca. Alguns exemplos são o aumento das compras online, o fortalecimento do atendimento omnichannel e a busca pela melhora contínua da experiência do cliente por meio de ferramentas digitais. Nesse contexto, o WhatsApp, aplicativo de mensagens mais usado no Brasil, ganhou destaque.
Movimento Varejo

Transformação digital já é real para mais da metade das PMEs

Segundo estudo da Fundação Getulio Vargas (FGV), pelo portal Terra, dentre as micro e pequenas empresas (MPEs) do país, a transformação digital já está presente em 66% das organizações, conforme o Mapa de Digitalização das Micro e Pequenas Empresas Brasileiras, da FGV, em conjunto com a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI). Ressalta-se, ainda, que as PMEs são responsáveis por 30% do Produto Interno Bruto (PIB) e por 50% dos postos de trabalho criados no Brasil.
Movimento Varejo

Burocracia na hora de consumir é empecilho para 8 em cada 10 brasileiros

Os brasileiros ainda sofrem com um entrave bem antiquado na hora de comprar bens e serviços: a complexidade para provar quem são. Soluções para agilizar o atendimento ao cliente e finalizar uma compra como biometria, que usa a identificação da digital, ou o reconhecimento facial – também chamada de biometria facial, ainda são pouco utilizadas por empresas de varejo e serviços.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.